'/> CETADEB Londrina - Califórnia. Teologia ao alcance de todos. Básico, Médio e Avançado.: Setembro 2015

15 setembro 2015

Entenda o que é Estado Islâmico?

O que é Estado Islâmico? É um grupo terrorista?
Pode-se dizer que sim. O Estado Islâmico (ou Isis, na sigla em inglês) era aliado da Al-Qaeda. No início de 2015 os dois grupos se desentenderam e o Estado Islâmico começou a agir sozinho.
Ele é diferente do Al-Qaeda?
Sim, porque está tentando conquistar um território e se estabelecer como um país. Eles começaram a atacar áreas no Iraque e na Síria para criar um estado baseado numa visão extremista do Islã. Querem criar um califado sunita.
Essa história tem alguma coisa a ver com o Saddam Hussein?Sim. Hussein era sunita, como os membros do EI, e essa corrente religiosa dominou o Iraque durante décadas. Depois da queda do ditador, o governo apoiado pelos Estados Unidos foi composto por xiitas. Os sunitas se sentiram excluídos e queriam ter mais poder. Sunitas e xiitas são rivais há séculos e essa situação política agravou a situação e favoreceu o fortalecimento do EI.
Por que eles matam pessoas e filmam tudo?Para assustar e mostrar que têm poder. As execuções com cara de filme também servem para recrutar gente nova pelo mundo. A ideia é seduzir os mais jovens vendendo a eles a ideia de vingança e força. E essa tática tem funcionado.

E por que pessoas do Ocidente se juntam a eles?
Muitos deles são filhos de imigrantes árabes e de países muçulmanos, e se sentem discriminados nos países onde nasceram porque têm uma cultura diferente. Em geral, decidem se juntar ao Estado Islâmico para se vingar.
Como eles conseguem dinheiro para agir?
O financiamento do EI veio quando países ocidentais (como os EUA) financiaram grupos rebeldes para lutar contra o ditador sírio Bashar Al-Assad, que ainda está no comando do país. Esse foi o o começo do nascimento do Estado Islâmico. Hoje, vivem de pedido de resgate de sequestros de estrangeiros, cobrança de impostos das áreas que dominam e roubo a bancos.
Quantas pessoas fazem parte do EI?
Estimativas falam em 50 ou 60 mil combatentes. O número preciso é impossível de saber, ao menos por enquanto.
Quem são os curdos e o que eles têm a ver com isso tudo?Os curdos são uma etnia que vive há séculos entre o Iraque e a Turquia. Eles tentam há muito tempo ter um estado próprio, que se chamaria Curdistão. O Estado Islâmico invadiu áreas pertencentes aos curdos, que se juntaram na batalha contra o grupo sunita.
Me Explica

05 setembro 2015

Siria - Sinta o Clima de uma verdadeira Guerra - Como é estar em uma zona de guerra sob os ataques aéreos. Agosto.2015

Centenas de pastores no vazamento de site de infidelidade

Robert Charles (R. C.) Sproul foi um importante pastor e teólogo norte-americano. Fundador e presidente do Ligonier Ministries, seu filho R. C. Sproul Jr. herdou um grande ministério após a morte do pai.
Contudo, desde o vazamento dos dados de pessoas registradas no site de infidelidade Ashley Madison, surgiu um grande problema entre igrejas norte-americanas. São centenas de pastores cujos nomes aparecem listados, incluindo R. C. Sproul Jr, de acordo com Christianity Today.
Com resultado da divulgação, Sproul Jr. foi afastado das suas funções no Ligonier Ministries. Logo em seguida, também perdeu o cargo no Reformed Bible College, onde lecionava cadeiras de teologia e filosofia.
O teólogo confessou ter visitado o site que reúne pessoas interessadas em cometer adultérios. Viúvo desde 2011, ele tem oito filhos e um neto. Justificou-se em nota em seu site: “Em agosto de 2014, num momento de fraqueza, dor, e movido por uma curiosidade doentia, visitei o Ashley Madison. Meu objetivo não era reunir material para fazer um comentário crítico a respeito, mas acender as chamas da minha imaginação”. Ressaltou ainda que sempre foi fiel à sua mulher.
Ainda não foi anunciado que posição tomará a Covenant Presbyterian Church, onde é um dos pastores. Por causa de sua importância para a igreja americana, o caso de R.C. Sproul Jr., está recebendo destaque.
Ele veio a público pedir perdão e afirmou que aprendeu uma “lição sobre graça”. Disse ainda crer que Deus perdoou o seu pecado. Por fim, acredita que todo o imbróglio envolvendo o nome de tantos líderes pode ser uma “bênção disfarçada”.
O pastor Ed Stetzer, do ministério Lifeway, que escreve para várias revistas e trabalha com estatísticas, escreveu em seu blog que aproximadamente 400 pastores e líderes cristãos da América do Norte estão na lista vazada por hackers. Para ele, isso indica que as igrejas do Canadá e dos Estados Unidos deveriam fazer uma profunda reflexão.
Afirmou que muitos pastores estão pedindo demissão de suas igrejas, após os nomes serem divulgados. Contudo, há muitos pastores, diáconos, presbíteros e evangelistas que não estão sendo acompanhados por suas igrejas. Em alguns casos, apenas pediram perdão às congregações.
Stetzer fez um apelo para que as igrejas não deixem o assunto ser ignorado. Afirmou que a infidelidade de um líder afeta todo o rebanho. Pediu ainda que haja arrependimento público.
Estimulou os culpados a pedirem perdão e os fiéis a perdoarem. Mas deixou bem claro que todos precisam ser tratados, especialmente as esposas dos homens cujos nomes foram revelados.